HOME
Busca:
 
AGENDA
LOCALIZAÇÃO
INSTALAÇÕES
ASSOCIADOS
ASSOCIE-SE
BANCO DE CURRÍCULOS
EVENTOS
CONTATOS
AGENDA CULTURAL
ANUNCIE AQUI








VOLTAR

Informe Acerb - 27/8/2013

ACERB fala sobre o Distrito Industrial de Bangu


Por Eder Fernandes


Presidente Wagner Ferreira responde as perguntas na ACERB. (Fotos: Eder Cardozo)

O presidente da Associação Comercial e Empresarial da Região de Bangu, Wagner Ferreira, foi entrevistado com o objetivo de esclarecer algumas questões relacionadas ao projeto de criação do Distrito Industrial de Bangu. O Conselho Diretor da ACERB está divulgando o projeto que já foi apresentado ao governado Sergio Cabral que se comprometeu com a instalação do distrito em Bangu. Este é um projeto das associações comerciais de Bangu, Campo Grande, Santa Cruz; da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Santa Cruz e da Oeste Export. Leia abaixo a entrevista e tire suas dúvidas.

1- O que é o projeto de criação do Distrito Industrial de Bangu?
                      
Wagner Ferreira: O projeto de criação do Distrito Industrial de Bangu (DIB) está em consonância com o desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro como um todo, e da Zona Oeste em particular.
 
2- Já foi feito algum estudo para esta criação?

WF: Este projeto nasceu de um estudo feito pelo Instituto de Economia da UFRJ (IE/UFRJ) coadjuvado pelas Associações Comercias de Bangu, Campo Grande, Realengo, Santa Cruz e o Distrito Industrial de Santa Cruz, que aponta que embora ainda haja uma predominância das atividades comerciais e de serviços, comparativamente com o Município do Rio de Janeiro a Zona Oeste é mais especializada em atividades industriais, tendo aumentado esta especialização entre 1998 e 2006. Segundo este estudo, já se percebe,hoje, na Zona Oeste a necessidade do adensamento da cadeia produtiva (setores ligados por relações de compra e venda) de metal-mecânica, por força da existência de um amplo conjunto de atividades, desde a produção de matéria prima (minério de ferro,cromo, níquel), o processamento de semi-acabados, laminados planos e longos, relaminados, trefilados e perfilados, até a fabricação de maquinas e equipamentos de artigos de metal para uso doméstico. Existe ainda na Zona Oeste um leque de setores demandantes de aço inox, tais como, os de alimentos e bebidas, químico e farmacêutico, editorial e gráfica.
 
3- Mas já não existem outros Distritos Industriais na Zona Oeste? Porque a criação de mais um ?
                        
WF: Existem hoje na Zona Oeste, os Distritos Industriais de Santa Cruz, Campo Grande, Paciência e Palmares que foram criados na década de 60 e já se encontram plenamente ocupados. Foram criados especificamente para médias e grandes empresas e em uma realidade econômica bem diversa dos dias de hoje.Portanto há uma carência de espaço para o desenvolvimento das micro e pequenas indústrias do setor metal mecânico desenvolverem-se adequadamente de forma a gerar efeitos significativos sobre as demais industrias locais, seja na qualidade de fornecedora de equipamentos, seja como fornecedora de insumos.Vale ressaltar que a Zona Oeste delimitada pelo estudo do IE/UFRJ engloba somente as quatro regiões administrativas compreendidas por Bangu, Campo Grande, Realengo e Santa Cruz, que representam mais de 30% da área do Município do Rio de Janeiro, e detém uma população de mais de 1,5 milhão de pessoas cujo IDH ainda se encontra abaixo do aceitável.
 
4- Porque em Bangu?
                         
WF: Segundo o Conselho Diretor da ACERB, a região de Bangu, em seus primórdios foi predominantemente industrial. A escolha do bairro como sede da Fábrica de Tecidos Bangu, trouxe novos ares para a população local que durante muitos anos teve nesta atividade fabril, a coluna vertebral dos seus sustentos. Fatores internacionais, problemas de gestão e a falta de políticas para o setor debilitaram de tal sorte a saúde deste empreendimento que o conduziram a um processo falimentar irreversível Com o seu declínio e posterior paralisação da atividade, decresceu também o orgulho do banguense, que viu a falta de planejamento e de políticas públicas recrudescer a invasão desordenada do solo e a transformação do nome do seu bairro em sinônimo de colônia penal, com todas as sequelas oriundas deste descaso político. A região de Bangu detém ainda grandes áreas livres que podem ser utilizadas para este fim.


Conselho Diretor da ACERB aprofunda estudo do Distrito Industrial de Bangu.
 
5- Onde seria o DIB? E qual o seu tamanho?         
                        
WF: A área sugerida pelo Conselho Diretor da ACERB, ao governador Sergio Cabral, é uma área de aproximadamente 440.000m²,situada próximo ao nº 32000 da Av.Brasil,  com um dos acessos, hoje, pela Estrada da Cancela Preta. 
 
6- A quem pertence o terreno?
                         
WF: O terreno pertence à União, e está em poder do exército, mas é uma área sem nenhuma utilização, que acreditamos possa ser utilizada para este fim.
 
7- Quantas empresas poderiam ter o DIB?
 
WF: No planejamento do Conselho Diretor o DIB foi projetado para abrigar pequenas e médias indústrias, por isto nos estudos preliminares os lotes industriais devem ter em média 1000m², que são as dimensões mínimas para lotes deste gênero. Desta forma, descontando-se as áreas destinadas a ruas praças e outras benfeitorias, que girariam em torno de 35% da área total, o DIB poderia ter, em torno de, 286 empresas.
 
8- Que tipo de empresa ou indústria se instalaria no Distrito Industrial de Bangu?
                            
WF: A determinação de quais empresas  ou indústrias devem ocupar o DIB deve ser dada pelos orgãos apropriados para isto, que nós acreditamos que sejam o CODIN, a FIRJAN, mas que deveriam ter também a participação da FACERJ, ACRJ e o SEBRAE. Nosso desejo é que sejam predominantemente micro e pequenas.        
 
9- O que os moradores vão ganhar com o DIB?
                              
WF: Em um projeto desta envergadura, nos é difícil mensurar todos os benefícios trazidos aos moradores, mas podemos vislumbrar alguns que nos parecem evidentes: o primeiro deles seria a elevação do número de empregos na região, principalmente com a vantagem da proximidade residência-trabalho. O segundo seria a melhoria da infra estrutura, não só logística e viária como também a de serviços públicos. Adicionando-se a este processo os investimentos da iniciativa privada, teríamos como consequência o fortalecimento do comércio e serviços de toda a região, e o aumento da arrecadação de tributos. Se considerarmos que temos a possibilidade de atrair empresas de outros estados, que hoje já fornecem para o Polo Siderúrgico de Itaguaí, temos aí o fechamento do circulo virtuoso de atração de capitais para o nosso Município e para o Estado.
 
10- Existe mão de obra local para as empresas que irão instalar-se no DIB?
                        
WF: Isto ainda não podemos afirmar, pois não sabemos quais empresas virão, mas temos em nossa região instituições de ensino técnico públicas e privadas que se chamadas à ordem, envidarão o melhor de seus esforços. 

11- O senhor gostaria de acrescentar algo mais?
                          
WF: Sim. A transformação do Projeto do Distrito Industrial de Bangu em realidade, trará novos ares a população local, e em consonância com os estudos apresentados pelo Instituto de Economia da UFRJ, consolidará a Zona Oeste como o Polo Metal Mecânico da Cidade do Rio de Janeiro.O Conselho Diretor da ACERB está trabalhando para isto.Muito Obrigado.


 
Usuário:
Senha:


 
Av. Santa Cruz, 4425 - Salas 201 | 202 | 203 - Bangu - Rio de Janeiro - RJ. Tel.: (21) 3331-2127
Programação e webdesign: Perfil Solução
air jordan adidas scarpe Tacchi Puma Scarpe Scarpe nike air max scarpe asics nike air force Saucony polo camicie Polo Ralph Lauren scarpe Nike Cappelli
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi
Chaussure nike chaussure sport sac a main nike chaussure adidas chaussure lunette de soleil Vetement Chaussure adidas Kleid Sportschuhe adidas schuhe adidas schuhe nike schuhe schmuck nike schuhe damen Taschen sonnenbrille
adidas stan smith nike free nike presto chaussures sport chaussure converse Air max casquette nike sb ceinture bijoux pandora adidas chaussure chaussures de sport Chaussures air jordan femme nike air jordan nike air max femme chaussures femme louis vuitton sac nike air presto
adidas stan smith nike free nike presto chaussures sport chaussure converse Air max casquette nike sb ceinture bijoux pandora adidas chaussure chaussures de sport Chaussures air jordan femme nike air jordan nike air max femme chaussures femme louis vuitton sac nike air presto
new balance oakley converse Scarpe Adidas scarpe Nike Scarpe louis vuitton Ray ban adidas Adidas superstar longchamp air max Cinture scarpe Puma
zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton Adidas Neo cinturones gucci zapatillas saucony zapatillas de moda Adidas Originals Adidas Yeezy nike air force polos lacoste Adidas Stan Smith Zapatos nike