HOME
Busca:
 
AGENDA
LOCALIZAÇÃO
INSTALAÇÕES
ASSOCIADOS
ASSOCIE-SE
BANCO DE CURRÍCULOS
EVENTOS
CONTATOS
AGENDA CULTURAL
ANUNCIE AQUI








VOLTAR

Economia - 02/12/2010

Inadimplência registra a maior queda em 10 anos, revelou Serasa

Recuo de micro e pequenas empresas foi de 3,1%, mostrou estudo da consultoria

Na relação de outubro de 2010, ante setembro último, a inadimplência dos negócios apresentou um recuo de 3,4%, conforme revelou o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi o mais baixo percentual verificado na comparação entre os dois meses desde 2000, ano em que o levantamento começou a ser feito.
Nas variações anual e acumulada, o indicador também registrou queda na inadimplência das pessoas jurídicas. Em outubro de 2010 sobre igual mês de 2009, o recuo foi de 3,8%, o maior para a variação entre esses meses desde 2004. No acumulado do ano, de janeiro a outubro de 2010 em relação à igual período de 2009, por sua vez, o decréscimo verificado pela consultoria foi de 6,2%, o maior para a relação entre os dez primeiros meses desde 2004.
Segundo os economistas da Serasa Experian, a inadimplência das empresas continua em queda, refletindo o bom momento da atividade econômica. Depois do menor desempenho do consumo e da produção no terceiro trimestre, em razão da política monetária restritiva, a reação esperada para a economia no último trimestre de 2010 traz expectativas positivas para as finanças empresariais no período. “Com isso, a inadimplência da pessoa jurídica vai fechar 2010 com variação negativa em relação a 2009, ano que registrou elevado indicador (18,8%), como consequência da crise e da menor oferta de crédito”, sinalizaram os especialistas da Serasa.

Protestos em queda contribuíram para recuo 
Na decomposição do indicador, os protestos, com queda de 4,7% na variação mensal (outubro ante setembro), contribuíram para o maior recuo do indicador, de 1,9%. Os cheques devolvidos por falta de fundos tiveram um decréscimo mensal de 2,5%, contribuindo para a queda de 0,9% do indicador. Já as dívidas não pagas junto aos bancos caíram 2,5% no mês, contribuindo com decréscimo de 0,6% na inadimplência das empresas.

 

Inadimplência das micro e pequenas empresas recuou

Na análise por porte, a inadimplência das micro e pequenas empresas recuou 3,1% na variação mensal, e 3,7% na anual. Entre as médias, a queda na relação outubro sobre setembro foi de 3,4%, ao passo que na variação outubro de 2010 ante outubro de 2009, o recuo foi de 9,3%. Quanto às grandes empresas, o decréscimo foi de 13,6% na comparação mensal, e de 3,2% na relação anual. De janeiro a outubro de 2010, o valor médio das dívidas com bancos foi de R$ 4.716,30, com alta de 3,2% ante o mesmo período de 2009.
Os títulos protestados, por sua vez, tiveram nos dez primeiros meses de 2010 um valor médio de R$ 1.650,69, o que resultou em 6,4% de queda, na relação com o acumulado de janeiro a outubro do ano anterior.
Por fim, os cheques sem fundos tiveram, de janeiro a setembro de 2010, um valor médio de R$ 2.049,98, com 26,4% de aumento, quando comparado com os dez primeiros meses de 2009.

Fonte: Jornal Coporativo


 
Usuário:
Senha:


 
Av. Santa Cruz, 4425 - Salas 201 | 202 | 203 - Bangu - Rio de Janeiro - RJ. Tel.: (21) 3331-2127
Programação e webdesign: Perfil Solução
A marca propmeio não existe nesse contexto.